Associação Central Amazonas da IASD

História da ACEAM

2020 – 2010

Voluntárias produzem 5 mil máscaras para área de saúde em Manaus

11 de abril de 2020

Solidariedade e amor expressos na arte da costura. A crise do coronavírus não parou as habilidosas mãos de voluntárias da Igreja Adventista na região norte e centro-oeste do Amazonas. Com as máscaras descartáveis em falta no mercado, um grupo de mulheres que frequenta o templo do bairro Alvorada, em Manaus, decidiu se envolver e ajudar os profissionais de apoio que atuam nas unidades de pronto socorro da capital. O ingresso na iniciativa aconteceu após um convite da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), através da enfermeira e professora Cheila Lins Bentes.
Para saber mais.

Corrida Vida por Vidas incentiva doação de sangue em Manaus

16 de julho de 2019

Em 2019 aconteceu a primeira edição da Corrida Vida por Vidas em Manaus. O evento foi promovido pelos jovens adventistas da região norte e centro-oeste do Amazonas e enfatizou a importância da doação de sangue, reunindo mais de 1.300 participantes. No Amazonas, os jovens adventistas são os maiores doadores de sangue do estado. Anualmente eles arrecadam cerca de 2 mil bolsas de sangue em uma parceria com a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (HEMOAM). Para mais informações clique aqui.

Com inauguração, Manaus passa a ter templos adventistas em todos os bairros

20 de julho de 2019

Em 2013, Manaus entrou para a história da Igreja Adventista do Sétimo Dia em nível mundial como a primeira cidade a ter um templo da denominação em cada bairro. Esforços missionários não faltaram para que isso acontecesse. Após cinco anos congregando no espaço do Teatro Manauara, no dia 20 de julho de 2019 o templo adventista no bairro de Adrianópolis foi oficialmente inaugurado. O momento foi marcado pelo sentimento de gratidão e alegria de quem começou uma história e vê parte dela sendo concluída. Para mais informações clique aqui.

Adventistas se mobilizam para ajudar vítimas de incêndio em Manaus

19 de dezembro de 2018

A noite do dia 17 de dezembro de 2018 ficou marcada na história da população amazonense. Um incêndio de grandes proporções destruiu as residências de cerca de 600 famílias do bairro de Educandos, em Manaus. A ADRA Brasil se envolveu para amenizar a situação dos desabrigados. As famílias receberam um cartão com um valor para ajudá-las a reconstruírem suas vidas. Administrado pela ADRA, o Centro de Apoio e Referência a Refugiados e Imigrantes (Care) também foi um dos pontos de recebimento de doações, além das igrejas adventistas na região. Para mais informações clique aqui.

Primeira escola adventista de Manaus reinaugura prédio

10 de março de 2017

A primeira escola adventista da cidade de Manaus foi inaugurada no ano de 1948. Como resultado do trabalho pioneiro na região, hoje, a escola tem mais de 500 alunos e um corpo de 49 colaboradores. No último sábado (04), líderes da Igreja Adventista na região, pais, professores e os estudantes estiveram reunidos para um culto de gratidão. O motivo foi celebrar e reinaugurar o prédio escolar que está presente em umas das principais ruas do centro da capital manauense. Para saber mais.

Igreja que Navega inicia suas atividades nas comunidades ribeirinhas

28 de abril de 2017

Segundo pesquisas no Brasil há oito segmentos reconhecidamente como menos evangelizados. Destes, dois estão fortemente presentes no território da Noroeste do Brasil, que são os indígenas, com mais de 117 etnias sem conhecimento da Bíblia, e os ribeirinhos, reunidos em mais de 10 mil comunidades sem igrejas evangélicas em toda bacia Amazônica. Por isso, a “Igreja que Navega” surge como uma resposta da Igreja Adventista do Sétimo Dia, fazendo frente a este desafio. 

Um dos objetivos é motivar os seus fiéis para estarem engajados na evangelização das pessoas que residem nas comunidades por onde a embarcação passará. Para mais informações clique aqui.

Igreja Adventista recebe homenagem por trabalhos sociais desenvolvidos no AM

21 de setembro de 2017

O escritório da Igreja Adventista do Sétimo Dia para a região norte e centro-oeste do Amazonas, recebeu uma homenagem da Câmara Municipal de Manaus. A sessão solene reuniu administradores, pastores distritais e servidores da equipe do escritório. Durante a solenidade, foram destacados os trabalhos relevantes que a Igreja Adventista realiza no estado do Amazonas, como os projetos sociais desenvolvidos em prol da comunidade. Para mais informações clique aqui.

Primeira igreja Adventista de Manaus comemora 70 anos

22 de outubro de 2016

A Igreja Adventista do Sétimo Dia de Manaus (AM) comemorou 70 anos de história na cidade. Uma série de acontecimentos marcou essa comemoração, e um desses eventos foi a reinauguração do primeiro templo Adventista da capital, a igreja Central de Manaus. Localizada no centro da cidade, a igreja central teve seu primeiro templo inaugurado em 1946, tendo a frente do projeto o pastor Walter Streithorst, pioneiro do Adventismo na região norte. Para mais informações clique aqui.

Projeto "Esperança Manaus" impacta a capital do Amazonas

22 de agosto de 2014

A Arena da Amazônia, estádio construído para sediar jogos da Copa do Mundo de Futebol, tornou-se um templo de adoração e louvor a Deus reunindo milhares de pessoas para a Celebração “Esperança Manaus”. A Arena tem capacidade para mais de 40 mil pessoas, e no dia 16 de agosto de 2014, a comunidade adventista se fez presente em peso. Para encerrar a campanha “Esperança Manaus”, cantores e apresentadores da TV Novo Tempo estiveram participando da programação especial. Quarteto Arautos do Rei, pastor Luís Gonçalves, apresentador do programa “Arena do Futuro”, entre outros membros da emissora, marcaram o evento. Para mais informações clique aqui.

Inauguração da TV Novo Tempo em Manaus

27 de julho de 2013

A inauguração da TV Novo Tempo foi marcada por uma intensa programação. Pela manhã a igreja participou do impacto Novo Tempo, fazendo a distribuição de panfletos com a grade de programação da tv, tornando a emissora conhecida na comunidade da igreja local. No período da tarde uma carreata movimentou e animou a igreja que partiu em comboio em direção ao Anfiteatro da Ponta Negra, onde mais de 20 mil adventistas estiveram reunidos para assistir à festa de inauguração. Uma comitiva de 90 líderes, representantes da Divisão Sul-Americana prestigiaram a programação de lançamento do canal 16, em sinal aberto, para toda Manaus, que foi transmitida, ao vivo, pela TV Novo Tempo para todo o Brasil e pela internet para todo o mundo. Para saber mais.

Igreja elege líderes para o novo quadriênio

18 de dezembro de 2013

Foi em constante oração a condução da XVII Assembleia Ordinária Quadrienal, realizada nos dias 15 e 16 de dezembro de 2013, no auditório do Instituto Adventista de Manaus. Com o tema: “Reavivados na Esperança”, a assembleia recebeu os delegados regulares e gerais (representantes das igrejas e instituições adventistas, vindos da capital e interior) para analisar os trabalhos realizados nos últimos quatro anos e para participar das nomeações para o quadriênio seguinte. Para saber mais.

2010 – 2000

2000 – 1990

1990 – 1980

1980 – 1970

1970 – 1960

1960 – 1950

1950 – 1940

1940 – 1920

A origem da obra da IASD na associação

Em 1927, o Pr. John L. Brown com o desejo de promover a mensagem adventista, viajou de barco da cidade Belém para a capital, Manaus. No decorrer da viagem, conheceu o judeu Salomão Levy, e o entregou um folheto. Salomão guardou aquele material e decidiu entregá-lo a um amigo, José Batista Michiles. Brown tinha prometido retornar em um ano e disse que o procuraria para conversar.[i]

No ano seguinte, o Pr. Brown cumpriu com sua palavra e viajou novamente para Manaus, agora acompanhado do Pr. Elmer H. Wilcox, presidente da União Este Brasileira (hoje USeB – União Sudeste Brasileira), que expressou o desejo de organizar uma Missão no Baixo Amazonas. Ao retornarem de Manaus, pararam em Maués, município no interior do Amazonas, e ali reencontram Salomão Levy, o judeu, que os acolheu em sua casa. Nas conversas, eles descobriram que o fazendeiro José Batista Michiles havia se interessado pela mensagem adventista. Então, os missionários o procuraram em sua fazenda chamada Centenário, e a família Michiles os recebeu animosamente, convocando vizinhos para assistir os cultos realizados pelos pastores. Assim, 50 pessoas ouviram a mensagem adventista, inclusive sobre o sábado. As primeiras pessoas a se batizarem foram José Batista Michiles, seu pai, os vizinhos Marcos e Licínia Viana, e Edwirges.[ii]

No final de 1928, o Pr. John Brown foi transferido para a Divisão Sul-Americana, por problemas de saúde, então o casal Leo e Jessie Halliwel, vindos da Bahia, substituíram o casal Brown. O Pr. Leo Halliwel foi eleito presidente da Missão Baixo Amazonas, localizada em Belém.[iii]

Com um território de difícil deslocamento devido à floresta amazônica, o meio mais fácil de transporte era o fluvial. Por esse motivo, em 4 de julho de 1931, foi lançada a lancha missionária Luzeiro I. A partir de então, o Adventismo no Amazonas cresceu exponencialmente e construíram a lancha Luzeiro II. Mais de 100 mil pessoas foram atendidas, 10 mil foram vacinadas contra a varíola, 51.077 tratadas no combate à malária, 21.747 com verminose e 7.009 com úlceras.[iv] O casal missionário havia navegado mais de 250 mil quilômetros pelo Rio Amazonas e seus afluentes. O trabalho pioneiro do casal Halliwel foi condecorado em 1959, quando receberam a Medalha Nacional do Cruzeiro do Sul.[v]

As primeiras lanchas missionárias

Hans Mayr trabalhou, primeiramente, no Estado do Espírito Santo. Depois foi estudar no CAB (Colégio Adventista Brasileiro), em Santo Amaro, onde permaneceu por três anos. Porém não deixou de pensar no seu objetivo máximo, estabelecer um posto missionário onde fosse mais necessário. Sentia que a região necessitada naquele momento chamava-se Amazônia.

Hans já estava trabalhando havia dois anos no Norte do Brasil, quando Leo Halliwell desembarcou em Belém. Com o olhar firme e sereno, grudado no Horizonte, Hans G. Mayr Brachert esperava no cais do porto da cidade de Belém o navio que logo atracaria trazendo a bordo, o “Schweitzer da Amazônia Brasileira”, pastor Leo Blair Halliwell. Arthur Valle comenta:  “Era o ano de 1929 quando Leo Halliwell chegava ao Norte do Brasil. Mas, desde 1927, o Amazonas já conhecia e admirava o trabalho altruísta de outro estrangeiro – o jovem Hans G. Mayr. Nascido na Alemanha, Hans sempre demonstrava grande interesse pelas fotos e informações dos campos missionários”.

Igual a muitos homens que se tornaram missionários ouvindo e lendo histórias de outros grandes missionários, assim também foi com Hans. As experiências vividas pelos pioneiros dos campos africanos, os feitos heroicos e as árduas batalhas travadas por homens que abriram mão do conforto de suas casas, da segurança da própria pátria, para servirem em lugares desconhecidos e marcados pelo perigo, inspiraram o jovem Hans Mayr.

[i] Guilherme Silva, “Nova luz. Trabalho assistencial com as lanchas Luzeiro supera crises e completa 80 anos na Amazônia,” Revista Adventista, no. 1239, ano 106 (Agosto de 2011): 22-23. “Central Amazon Mission,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1941), 189; Rubens Lessa, Construtores de esperança: na trilha dos pioneiros adventistas da Amazônia (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2016), 44.

[ii] Rubens Lessa, Construtores de esperança: na trilha dos pioneiros adventistas da Amazônia (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2016), 35; Francisco Abdoval da Silva Cavalcanti, A conquista de uma cidade: conheça a história da capital mais evangelizada do Brasil (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2016), 91.

[iii] Rubens Lessa, Construtores de esperança: na trilha dos pioneiros adventistas da Amazônia (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2016), 48; Loriza Kettle, Uma igreja na selva: a história sobre pioneirismo da Igreja Adventista no Amazonas (Campinas, SP: Millennium Editora, 2016), 12.

[iv] Rubens Lessa, Construtores de esperança: na trilha dos pioneiros adventistas da Amazônia (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2016), 68.

[v] Ibid., 70.